quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Dia 5 - sobe, sobe, balão sobe

A etapa 5 é a segunda da saga das 4 grandes. Nesta etapa tinhamos uma marca para o livro dos recordes do TransAlps, a maior subida (com mais desnivel) das 12 edições. Um desnivel de pouco mais de 1700m, em cerca de 18km.

Logo no inicio do dia atacamos uma subida, como o Team2Experience dizia, uma Serra da Estrela logo a seguir ao pequeno-almoço. O principio foi em alcatrão, que deu para iniciar as rotinas moralizadoras. Ainda mais um pouco de subida em terra e entramos num rápido planalto onde nos juntamos a um comboio e rapidamente chegamos ao km 20, onde paramos no 1º abastecimento.
Photobucket

Começamos depois uma longa descida em que alternamos entre alcatrão, terra e algumas zonas técnicas. Passamos por várias equipas, algumas voltam a apanhar-nos no alcatrão e por fim chegamos aos 500m de altitude, com o desafio do dia à nossa frente. 18km de subida...

No inicio tratamos logo de nos por bem à fresca e guardar os corta-ventos que lá em baixo estava bem quente e o programa das festas não indicava que fossemos sentir frio... Uma subida com cerca de 2/3 em alcatrão sempre sem grandes desniveis mas onde se sentia o desnivel. Cruzamo-nos com o BTTeam e o M&M na subida e lá trocamos os habituais galhardetes. O meu travão ia a fazer um pouco de ruido mas não queria parar até chegar ao reabastecimento, quando se iniciaria o BTT. Ao chegar foi reabastecer depressa para fazer a sessão de mecânica. Felizmente era simples e em menos de 10 minutos ficou resolvido. Só foi pena o esforço extra que fiz na subida por causa da minha casmurrice. No final do dia o R.M. disse-me que pensava que eu estava a empenar, pois ia com a pulsação 20 batimentos abaixo do que era normal para o nosso ritmo...
Photobucket

No final da subida ainda alguns quilometros de falso plano que pareciam não terminar... Seria da altitude (2000m) ou do empeno??? Contas feitas desde os 500m aos 2100m tinhamos levado 2h20, para uns miseros 18km.
Photobucket

Logo no inicio da descida voltamos a ter um problema mecânico, novamente com o meu travão da frente... Nova paragem com resolução do problema um pouco mais lenta e provisória, no final da etapa teria de fazer tudo como deve ser. Entretanto estava desenrascado e mesmo fazendo a 1ª dezena de kms à cautela. Graças ao nosso calo enquanto mecânicos deu para ficar quase perfeito, mas nunca joguei à confiança...

E ainda bem, pois a secção final da descida para Sarnthein/Val Sarentino havia uma longa secção técnica em singletrack na qual bem falta me fizeram os travões. O inicio era junto um ribeiro que se seguia por alguns quilómetros com várias secções de húmidas e escorregadias lajes. Depois entravamos numa zona de bosque mais rápidas mas ainda com muitas raizes, também elas bem amanteigadas e no final dentro também de bosque mas em trilhos escavados na encosta em que um pouco mais ao lado e iamos parar bem lá abaixo. Divertido, mas bem perigoso. Chegamos à meta em falso plano descendente na ganga e com mais um sorriso nos lábios.
Photobucket

Até descobrirmos o que se tinha passado com o team Despertar. No inicio da secção técnica, numa das ditas lajes o pneu da frente da bicla do R.T. foge e a bicla foi parar ao ribeiro, neste caso uns 10m para a frente. Ele agarrou-se a uma árvore mas a bicla voou baixinho e com tanta inércia as pedras vingaram-se. Quadro partido e prova terminada... Que desilusão...

No RV park somos brindados com um péssimo banho, literalmente um fio de água fria. E as poucas condições do pavilhão da pasta party que mais parecia um forno. Mas, afinal de contas nós viemos aqui foi para pedalar, não por causa dos banhos nem da boa gastronomia...

Classificação do dia 168 de 253 em Men com 6:34:16 (a 2:47:27 do 1º). À 5ª etapa 177 de 253, à geral 309 de 498.



Stage 5 was the 2nd of our saga of 4 big ones. On this stage a new Transalps record, the highest climb of its history. Over 1700m in about 18km.

Right at the start of the day the usual climb, has Team2Experience would say, a "Serra da Estrela" at breakfast. The first part in asphalt, and a bit of it in dirt. After this a fast plateau in which we were going in a bunch and quickly got to km 20, our usual stop at the first feed station.
Photobucket

A long downhill follows changing from asphalt to dirt with some techincal bits in between. Overtook some teams, and some of them got back in the asphalt sections. At the end the day's challenge awaited us. We would be going from 500m to 2100m of altitudde in 18km...

Right at the start got out of our windstoppers and placed them in our camelbags. At 500m it was pretty warm and by what we had ahead, we wouldn't get any colder... The climb had about 2/3 in asphalt without no major upsets in gradient, but a very steady steepness. Managed to see BTTeam and M&M and had a quick change of words. My front brake was a bit noisy but I didn't want to stop until the feed station, when the asphalt would end. A quick refill and into the repairs. Luckilly it was simple and in 10 minutes was solved. Just a shame that extra effort due to my stuborness. At the end of the day R.M. said that he was thinking I had bonked, his pulse was 20bpm lower than usual for our pace during the climb...
Photobucket

At the end of the climb there was a neverending false flat. Would it be from the altitude (2000m) or were we just too tired??? On those 18km, we took 2h20...
Photobucket

Right at start of the descent we had a new mechanical... My front brake again. Another stop, this time for a calmer and deeper repair. Got the brake working, but it would need a proper review at the end of the day. It seemed to work fine, but the first 10km were done with special care.

At the final section of the downhill to Sarnthein/Val Sarentino our repairs would be taken to the test with some proper technical sections. Thankfully we are good mechanics... It started by a stream, with wich it went trough some kilometers with several wet and slipery rocks. After this a woodland section with some mud and slipery roots and at the end of it a faster part with a trail dug into the hill. A little slip a we would be flying... Fun, but dangerous. Into the finish line in another false flat with a big smile on our face.

That was, until we found out what had happened to Despertar... At the start of the technical section near the stream R.T.'s front wheel slipped on a slate and his bike went flying into some rocks. He hold on to a tree but his biked broke it's frame. It was the end of the event for them...

At the RV park we another lousy shower, literally a drip of cold water. And the pasta party site was as hot as a sauna. But, afterall, we went there for the pedalling part and not because of the nice showers or wonderfull cuisine...

Day's classification 168 of 253 in Men with 6:34:16 (at from 1st 2:47:27). At 5th stage 177 of 253, overall 309 of 498.

1 comentário:

  1. Problemas de travões...isso resolve-se com uns HS33 :)

    Rui Sousa

    ResponderEliminar