quinta-feira, 28 de julho de 2011

Camino Françês de Santiago - dia 1 (Hendaye a Albergue Orisson) - o dia da avozinha

Primeiro dia de pedaladas.

Geralmente quem vem de Portugal para fazer o Caminho desde St Jean Pied de Port sai do Sud-Expresso em Hendaye e entra num conveniente comboio regional que parte pouco depois da nossa chegada para St Jean. Mas nós tinhamos de ser diferentes e já estavamos ansiosos por começar a dar aos pedais.

Por isso toca de tirar as biclas das caixas, montagens finais e em direcção aos Pirinéus. Mas tivemos um precalço... O R.M. foi ajustar a altura do selim e ficou com a cabeça do parafuso na mão. O selim assim é que não ia ficar à altura necessária. Fizemos as indagações necessárias e descobrimos que em Hendaye não há mecânicos nem lojas de biclas e tivemos de seguir para Irún, onde nos deveriam desenrascar. Mas como o comboio chegou às 7:10 (hora local) ainda tivemos de esperar um pouco. Não faz mal, sempre deu para tomar um cafezinho.

Depois da rápida reparação (aperto de do espigão novo) fizemo-nos à estrada. Esta ligação não tem grande história, foi sempre em alcatrão, seguindo nos contra-fortes dos Pirinéus, que nos evitou subidas de maior. Cruzamo-nos com imensos ciclistas franceses e admiramos a bela montanha. Fizemos um par de paragens ao longo do caminho para reabastecer e quando chegamos a St Jean era hora de almoço e já tinhamos 80km feitos... Atacamos o primeiro menú do peregrino da semana acompanhado de uma malga de cidra.


Como ainda era cedo fomos tratar da credencial de peregrino e atacamos logo a afamada travessia dos Pirinéus na hora do calor. Se até aqui o dia tinha sido fácil, depressa mudou. A saida de St Jean fez-nos logo ver o que nos esperava. Estrada secundária bem inclinada. Somado com o calor e a carga depressa estavamos a suar. Cruzamo-nos com alguns peregrinos a pé, ao entrarmos numa secção de terra já pingavamos... Em 1h20 fizemos 8km e o homem da marreta já andava à espreita. O último albergue antes de passar o topo e chegar à Espanha já estava perto e tomamos a opção de ficar por lá.

Foi o mais caro onde ficamos, mas também aquele que mais gostamos. Uma vista de babar, uma calma imensa. O jantar foi uma bela e farta surpresa (tenho de descobrir a receita do Pastel Basco). Após o jantar foi em mesa corrida e no final todos nos apresentamos, o que fomentou ainda mais a conversa. Entre Castelhano, Inglês e Françês houve assunto com fartura. Gente do Quebec, EUA, Coreia, França, Alemanha... Muito, muito bom.


The first day on the bikes.

Usually for the Portuguese doing the St Jacques Way you get out of the Sud-Express in Hendaye and get into a train that conveniently sets off to St Jean Pied de Port shortly after our arrival. But we had to be different and had eager legs.

So we started unpacking the bikes and doing the necessary set-up to head to the Pyrenees. But there was a problem... When R.M. was adjusting his saddle height the bolt snapped. So we had no way of keeping that sadle high enough... After some investigation we found that Hendaye has no bike mechanics (or others by the looks), so had to head to Irún to sort it out. We just to had wait a bit. The train arrived at 7:10 and the shop would only open at 9:30. It just meant we had time for a coffee.

After the quick fix (a new seatpost clamp), we headed out. Not much to tell about the route to St Jean. It was all road on the valleys preceding the Pyrenees, so no major climbs but good scenery. Loads of french cyclists. We did a couple of stops to refuel and got to our goal by lunch time, with 80km done. Stop for our first pilgrim's meal and a bowl of cider.

We dealed with our "credencial" and thought it was still good time to start the oficial pilgrim's route. That meant crossing the Pyrenees. If the morning had been uneventful, we were now in proper climbing mode, still on asphalt, but quite steep... To help us in our effort, the temperature was warm enough to get the sweat driping from our arms.

We passed some walkers and after 1h20 we had done only 8km, but were a lot more tired. The decision was made to stop at the Orisson pilgrim's hostel, the last one before the top and Spanish border.

It  ended up being the most expensive we satyed in, but also the best. Great views and a peaceful location. The dinner was good and plenty and the company on the same level. At the end of the meal we all introduced ourselves and the chatting followed. Spanish, French and English, all were good to get the message through to the Canadians, Americans, Koreans, French, Germans... An amazing end for our first day.

Trajecto cortesia de R.M. Track courtesy of R.M.

5 comentários:

  1. Assim que chegar a casa. A conta aqui tem um limite muito baixo...

    ResponderEliminar
  2. O relato vem com atraso. Já chegamos a Portugal na 6ª passada, mas vou fazendo o relato devagarinho...

    ResponderEliminar